Vivo e Oppo - Conheça a história das marcas que vieram para ficar

Os fabricantes Chineses estão cada vez mais presentes no mercado de dispositivos móveis, e sim, alguns merecem ser destacados. São marcas como a Xiaomi, Lenovo, Vivo ou Oppo.
A Xiaomi e a Lenovo já são conhecidas no mundo ocidental pelo que têm feito nos últimos anos. Mas e a Vivo e a Oppo? Pois bem, estes dois últimos fabricantes atingiram nos 3 primeiros meses do ano o top 5 de marcas que mais smartphones venderam e não foi por acaso. São marcas que criam produtos com qualidade e que procuram sem dúvida mudar a forma como olhamos para as marcas Chinesas. 
O sucesso destas empresas não é um resultado do acaso. Vamos ver quem são, de onde vêm e para onde vão. 


Vivo e Oppo são descendentes da BBK Electronics Corporation
Ambas as empresas pertencem ao mesmo grupo, a BBK Electronics Corporation, um grupo empresarial Chinês especializado em eletrónica mas não apenas de dispositivos móveis. Englobam também televisões, leitores de mp3, câmaras digitais entre outros. O mais curioso é que há outra empresa ainda mais jovem também descendente deste grupo, a OnePlus.

Origem da Vivo
A Vivo foi fundada em 2009 para projetar e desenvolver dispositivos móveis e respetivos acessórios, softwares e serviços. Deste o início que destacam nos seus dispositivos chips de HiFi favorecendo a qualidade de áudio. A partir daí, a empresa desenvolveu ainda a sua própria loja de aplicações (App Store VIVO), bem como o seu próprio sistema operativo baseado no Android (FunTouch OS).

Origem da Oppo
Antes de ser lançada a Vivo a BBK Electronics Corporation fundou uma outra empresa. Em 2004 nasceu a OPPO, que também inclui, entre outras, o fabrico de dispositivos móveis ou leitores de DVD e Blu-ray. Na verdade, a marca foi registada em 2001, e após a sua fundação demorou ainda uns anos a atingir o mercado de dispositivos móveis que aconteceu em 2008, apenas 1 anos antes da Vivo.

Mais semelhanças do que diferenças entre a Vivo e Oppo
A OnePlus começou a imitar o formato de marketing utilizado pela Xiaomi, ou seja, baseado apenas no e-commerce (sendo esta uma das razões para terem preços difíceis de acompanhar). Pelo contrário a Vivo e a Oppo optaram pelo mercado tradicional, com lojas físicas e distribuidores para ambas as marcas, utilizando assim a mesma política de preços e estratégias de marketing. Outras estratégias passam pela criação de parcerias, como o exemplo da Oppo que desde 2015 é parceira do FC Barcelona dando assim mais um passo para a sua internacionalização.

Apesar de semelhantes, cada marca tem o seu ponto forte. Enquanto a Vivo aposta na qualidade do som, a Oppo decidiu investir na qualidade fotográfica das suas câmaras.

Assim, ambas as marcas podem coexistir, e muito mais interessante que isso: alimentam públicos com perfis diferences, tendo como suporte uma infraestrutura comum que lhes proporciona uma boa consolidação no mercado. Graças a isso as empresas têm tido uma ascensão sólida no mercado de dispositivos móveis.

Inovação, a chave para o sucesso
O mercado Chinês de telecomunicações é o maior do mundo, havendo público para todas as marcas, das menos conhecidas às mais conhecidas. Contudo a Vivo e Oppo têm-se mantido no topo, não só devido à qualidade dos seus dispositivos mas também graças a inovação comparativamente com as suas (dezenas de) concorrentes.

Ambas as empresas decidiram apostar não só em terminais de qualidade, oferecendo ao utilizador produtos premium com tecnologias de vanguarda. Exemplo disso é o caso da Oppo que lançou recentemente o sistema VOOC, um sistema de carregamento ultra rápido de apenas 15 minutos.
Ou a Vivo que, por exemplo, lançou o primeiro smartphone com 6GB de RAM: Vivo XPlay 5.

Os números falam por si
Embora estas duas empresas não sejam líderes em números de smartphones vendidos no mundo inteiro, o seu crescimento é impressionante tal como o facto de se terem tornado nos últimos 2 anos nas empresas que mais cresceram, fazendo com que outras empresas diminuíssem as suas vendas.
Deste 2014 que marchas Chinesas como a Xiaomi e Lenovo (que trocaram de lugar com a Vivo e Oppo) têm vindo a ganhar terreno à Samsung e Apple que por sua vez têm vindo a diminuir as vendas.

Mas isto não é nada. Se valorizamos o crescimento nas vendas de smartphones, vemos que a Vivo aumentou suas vendas num ano em 759%! Algo surpreendente e que não é fácil conseguir. A Oppo, neste caso, estaria no terceiro lugar com uma subida de 183%.

Na verdade, a Oppo evoluiu de cerca de 2 milhões de aparelhos em 2012 para mais de 50 milhões em 2015, enquanto a Vivo já vendeu cerca de 25 milhões em 2014 e em 2015 cerca de 42 milhões. Sem dúvida, números impressionantes que devem assustar seus concorrentes.

Se olharmos apenas para a China, mercado onde mais se destacam, vemos que no último ano estas marcas chinesas têm vindo a ganhar cada vez mais terreno perante a Samsung.


Vivo e Oppo, um futuro promissor
Com esta subida sólida ambas as empresas tencionam entrar nos diferentes mercados internacionais. Na verdade a Oppo está já a planear a reestruturação dos seus canais de distribuição para a Europa, embora ainda não se saibam detalhes.
Tendo em conta que o mercado de smartphones está a ficar saturado (segundo o último relatório do Internacional Data Corporation - IDC, onde refere que pela primeira vez na história o mercado global de smartphones parou de crescer) será que estas empresas vão continuar a inovar, revolucionando o mercado e a forma de fazer marketing? Farão cair do trono as gigantes sul Coreana e norte Americana?
Uma coisa é cerca, quem ganha é o consumidor, com uma maior oferta e com preços mais competitivos.

Fonte: androidcurioso.com


Emoticon Emoticon