Xiaomi Mi 5 Prime - Análise e opinião | Diferenças entre Mi5 e Mi5S

Nada mais apropriado que após o lançamento do Xiaomi Mi 5S e Mi 5S Plus, vir falar sobre o Mi 5. A verdade é que este lançamento veio deixar muita gente indecisa sobre se valerá a pena comprar o Mi5, ou esperar pelo Mi 5S! Pois bem, após algumas semanas de uso do Mi5, vou dar a minha opinião sobre este smartphone.


O artigo está dividido em várias secções: unboxing, primeiras impressões, análise, opinião e comparativo com o Mi 5S. Por isso se não quiserem ler tudo, passem simplesmente para a parte do artigo que vos interessa, apesar de que durante o texto vou falar sobre alguns aspetos pertinentes.
Antes de mais deixem-me dizer-vos que comprei a versão de 64GB. Esta versão tem o mesmo SoC que a versão Pro, o processador é ligeiramente superior à versão de 32GB. Contudo acho que a diferença de desempenho não deve ser assim tão grande entre estas versões. Para além do processador, o que difere entre as versões do Mi5 é o armazenamento interno e o corpo em cerâmica da versão de 128GB que vem também com 4GB de memória RAM.

Unboxing

A caixa do Mi5 é branca, igual à dos restantes smartphones da marca, já lá vai o tempo em que esta utilizava as caixas de "cartão reciclado", que apesar disso, eram bem bonitas na minha opinião. No verso da caixa estão algumas informações acerca das características do smartphone.

Ao abrir a caixa temos o Mi 5 com todo o seu esplendor. Está disponível em 4 versões, branco, dourado, preto e rosa. O smartphone vem com as habituais películas protetoras, uma no visor, outra na parte traseira a par dos autocolantes normais e também na câmara.

A acompanhar o smartphone dentro da caixa está o utensilio (espécie de clip) que serve para abrir a slot dos cartões SIM e o mini manual, que não nos ajuda muito. Temos também o cabo de dados USB tipo C e o carregador de carga rápida. O adaptador AC europeu vinha junto com a caixa dentro do embrulho.

Olhando para o Mi5. Na parte inferior está a entrada micro USB tipo C, que de facto é uma grande vantagem em termos de tempo de carga e também na cópia de ficheiros para o PC ou vice-versa, uma vez que o tipo C (chamado também USB 3.1) tem o dobro da velocidade de transferência para o USB 3.0.

De ambos os lados da porta USB estão os dois altifalantes e o micro. Na parte lateral direita estão os normais botões ON/OFF e volume; na parte traseira encontra-se a câmara e o flash duplo na parte superior esquerda e em baixo ao centro está o logo da MI.

Na lateral esquerda encontramos apenas a entrada para os cartões SIM.
Em cima está a entrada de 3.5mm para os headphones, o sensor de infravermelhos e um micro secundário para o som stereo.

Na parte frontal está o belíssimo ecrã de 5.15" e na parte inferior deste está o botão home com o sensor de impressões digitais que até agora se tem portado lindamente cumprindo muito bem o que promete sem falhas. Nas laterais destes estão os outros dois botões retro iluminados. Em cima está a coluna de som para as chamadas, sensor de aproximação e câmara frontal.


Primeiras impressões


A primeira impressão com que fiquei quando peguei no smartphone é que é mesmo, mas mesmo muito leve. Em relação aos materiais utilizados, a frame principal é de metal e as restantes são de plástico com cobertura de vidro em ambas as partes traseira e dianteira. São apenas 129g fáceis de transportar que não incomodam muito no bolso, nem mochila ou mala.

Quando liguei o smartphone já sabia que este não trazia o idioma em português PT-PT, embora esse não seja um grande problema uma vez que é possível escolher a língua PT-BR.

PODEM VER COMO COLOCA A ROM ESTÁVEL EM PT-PT AQUI

Quem está habituado a smartphones mais pequenos vai notar a diferença, mesmo para quem vem de um de 5". Este tem 5.15" de diagonal e é ideal para quem não pretende um phablet e também para quem não pretende equipamento com um ecrã mais pequeno.

O equipamento e muito bonito, o efeito curvo na parte traseira ajuda-o no encaixe com a mão. O revestimento em vidro dá-lhe o toque premium embora seja um pouco escorregadio, nada que uma case não resolva.

 

Análise


Começando pelo ecrã, este é de facto um dos melhores ecrãs que já alguma vez vi. É IPS e foi desenvolvido pela Sharp e JDI (Japan Display Inc.). Tem uma densidade de 428 pixeis por polegada e um contraste de 1400:1. As cores são vivas e mesmo sob a luz solar é possível ver tudo muito bem no ecrã.

Em termos de potência e hardware não há nada a apontar a este fantástico smartphone, tem os melhores componentes do mercado (apesar de já ter saído a última versão do SoC da Qualcomm). Quer a jogar, ou a desempenhar outra tarefa qualquer o Snapdragon 820 é de facto 5*. Olhando com mais detalhe comparativamente com o Mi 5S que tem o Snapdragon 821, as diferenças são mínimas e têm a ver com a frequência do clock. O Snapdragon 820 tem dois CPUs Kryo a 2.2GHz para desempenhar tarefas mais exigentes enquanto ao Snapdragon 821 tem os mesmos CPUS Kryo mas com um clock de 2.4GHz. Quando as tarefas a desempenhar não são assim tão exigentes o Mi5 utiliza os outros 2 clusters Kryo que trabalham a 1.6GHz enquanto no Mi 5S os mesmos dois clusters que trabalham a 2.0GHz. Em relação à GPU utilizada, ambos os smartphones utilizam a Andreno 530, sendo a versão de 624MHz para o Mi5 e a versão de 650MHz para o Mi5S.

Olhando para a máquina fotográfica, esta é uma Sony IMX298 Exmor RS de 16MP e o seu grande trunfo é a estabilização ótica de imagens (OIS) de 4 eixos. Os resultados à primeira vista podem não ser surpreendentes, mas a verdade é que com a prática, esta apresenta resultados muito bons. Podem ter acesso às fotografias em tamanho original aqui.

As fotografias são muito boas durante o dia, mesmo em locais um pouco escuros. A câmara consegue compensar automaticamente esse facto.

Aquilo que mais gostei nesta câmara foram as cores e o foco e desfoco dos objetos. À noite os resultados são normais, pois não estamos perante nenhuma reflex.


A estabilização ótica da imagem nota-se quer nas fotografias quer nos vídeos em que os movimentos não são muito acentuados, pois quando estamos em movimento o estabilizador não faz milagres.

Comparativamente com o Mi5S, este traz outra câmara, uma Sony IMX378 Exmor RS de 12MP. Grava a 4K a 60fps mas esta já não traz a estabilização ótica de imagem. A câmara frontal é a mesma em ambos os modelos. Tem boas cores, uma boa abertura e serve perfeitamente para selfies ou para vídeo chamada.

Em termos de conectividade nada difere entre os dois modelos. O que mais gostei na utilização do Mi5 foi o VoLTE. Esta tecnologia de facto melhora e muito as nossas chamadas telefónicas, o áudio é do melhor que já experienciei. Há outras tecnologias que destaco também, como o Wi-Fi que tem tecnologia 802.11ac que utiliza a frequência do 5G e a rede 4G que funciona sem problemas.

O USB tipo C foi outro aspeto que não estava habituado e que gostei muito. O carregamento é super rápido é uma mais-valia e ainda bem que esta tecnologia começa a estar presente em mais dispositivos.

Em relação à bateria a do Mi 5 Prime é de 3000mAh, dá para um dia e pouco de utilização. Comparativamente com o Mi 5S, este tem uma de 3200mAh. Serão esses 200mAh suficientes para aumentar a autonomia deste modelo?


Opinião

Pontos a favor:
- Design
- Qualidade do ecrã
- Peso
- Desempenho
- Relação qualidade / preço

Pontos contra:
- A minha opinião é que neste equipamento não há pontos negativos. A verdade é que gostei de tudo. Contudo, o facto do smartphone ter apenas um aro metálico, sendo revestido a vidro na parte frontal e traseira não lhe dá uma resistência de topo. É fundamental adquirir uma capa protetora para este smartphone se não querem correr o risco de terem algum acidente com ele. (Ver no fim a sugestão)
- Câmara: apesar dos resultados serem bons, não são deslumbrantes nas fotos em movimento;


Comparação entre o Xiaomi Mi5 vs Xiaomi Mi5S | Qual escolher?


Já destaquei alguns dos pontos em que estas duas versões diferem. Deixo-vos a lista mais completa:

Design e Materiais

Tamanho: o Mi5S é ligeiramente maior que o Mi5. É cerca de 1mm maior, quase 2mm mais largo e 1mm mais alto. No peso também há diferenças o Mi 5S pesa 145g, mais 16g que o Mi5.
Isto deve-se ao facto da Xiaomi ter alterado o revestimento do smartphone. A versão S utilizado o metal que cobre quase todo o equipamento, tornando-o mais pesado mas ao mesmo tempo mais resistente.

Processador 821 vs 810


Câmara fotográfica

Bateria

Sensor de impressões digitais

O sensor de impressões digitais é outra diferença entre estas duas versões do Mi5. O Mi 5S foi o primeiro smartphone no mundo a usar um leitor de impressões digitais ultra-sónico. Este leitor de impressões digitais apresenta uma nova tecnologia que para além de ser muito mais seguro, possibilita a leitura das impressões digitais mesmo através de uma fina camada de materiais através de impulsos ultra-sónicos.

Estes são os pontos que diferem entre o Xiaomi Mi 5 e o Xiaomi Mi 5S. Se formos aos detalhes, as diferenças são algumas, mas não são muito grandes, tal como o preço entre ambos os smartphones.

Preços

Existe uma diferença de preço de 70€ a 80€ entre o Xiaomi Mi 5 que tem o preço mais baixo aqui, e o Xiaomi Mi 5S que tem o preço mais baixo aqui.

Sugestão de capa protetora para o Mi 5.

Que equipamento escolher?

Ambos os smartphones são boas escolhas, para uns o Mi 5 pode ter umas vantagens (nem que seja no preço) e para outros o Mi 5S pode ter outras vantagens. Cabe apenas ao utilizador final decidir tendo em conta o seu orçamento e o uso pessoal de cada um.

Qualquer que seja a vossa escolha, ficam muito bem servidos!

Qual a vossa opinião? Deixem nos comentários e partilhem!

Vídeo



Emoticon Emoticon