ZUK Z2: Análise e opinião do topo de gama da Lenovo

Depois de duas semanas de utilização do smartphone da Lenovo, lançado em maio de 2016, está na altura de tirar as conclusões sobre este equipamento e saber o que ele vale, uma vez que este é apontado como concorrente direto do Xiaomi Mi5.


A Lenovo é uma marca conceituada estabelecida em todo mundo graças a comercialização de computadores. De forma a fazer frente a marcas como a Xiaomi, Oppo ou Huawei esta decidiu criar uma sucursal com o nome ZUK que se destina a criar smartphones topos de gama. Podes ver mais fotografias do equipamento aqui no unboxing.


O que se destaca neste equipamento dos restantes

Este smartphone visualmente muito agradável é detentor de componentes iguais aos seus concorrentes diretos. Possui um SoC Qualcomm Snapdragon 820, 4GB de RAM e 64GB de memória interna (ver caracterísicas completas aqui). Os 4GB de memória RAM sobressaem nas principais características. É certo que há alguns equipamentos com esta quantidade de memória RAM e até mais, mas a este preço não são muitos. Este equipamento pode ser adquirido na Gearbest por pouco mais de 200€.

Análise

Aleado a estas características está um corpo metálico simplesmente brilhante. A frame rija fornece-lhe uma boa resistência deixando ficar mal vistos alguns smartphones mais caros. Resistente e robusto são algumas das características deste smartphone. Está disponível em duas cores apenas: preto ou branco, e a cor escura dá-lhe um toque de requinte embora tenha os seus senãos. Já lá vamos. Este smartphone tem também uma característica diferente dos restantes: não tem botões auxiliares. Existe apenas um botão home onde está também localizado o sensor de impressões digitais. Para além disso possui diversas funções podendo ainda ter funcionalidades personalizáveis.



Começando pela conectividade, este smartphone tem uma entrada USB tipo C, que faz com que este carregue em cerca de 1:30 a 2:00h. Ao lado da porta USB está a entrada de 3.5mm para os headphones.
A rede Wifi é dual band 2.4GHz e 5GHz com 802.11a, 802.11ac, 802.11b, 802.11g, 802.11n, 802.11n. Em termos de testes feitos à velocidade de download e upload estes deram cerca de 42Mbps de download e 47Mbps de upload.


Tem também suporte rede 4G nas frequências 1700/2100, 1800, 1900, 2100, 2500, 2600, 850, 900MHz. Aqui nem sempre consegui apagar a rede 4G variando muito de zona para zona.

O Bluetooth 4.1 mostrou-se eficaz quer na transferência de ficheiros, sincronização de gadgets como colunas ou pulseira Mi Band 2 ou alta voz no carro.


No que diz respeito às memórias, são 64GB de armazenamento interno estando disponíveis mais de 52GB, onde nos testes realizados obtive velocidades de 247.25MB/s em leitura e 104.48MB/s em escrita. Em termos de memória RAM são 4GB que chegam e sobram para correr qualquer aplicação. Nos testes de velocidade o equipamento atingiu 11952,98MB/s na transferência de dados. Em ambos os testes os resultados foram superiores a smartphones como o Xiaomi Redmi Note 3.


Durante o tempo em que o utilizei a bateria de 3500mAh teve uma autonomia de 2 dias de utilização normal com chamadas, wifi sempre ligado durante o dia e rede móvel às vezes, alguns jogos e utilização intensiva da máquina fotográfica.



O ecrã LCD IPS LTPS é de 5" e com 70.6% de screen-to-body, tem resolução FHD 1080x1920px, uma densidade de 441ppi (o que é bom) e é protegido por Coring Gorilla Glass. Tem contraste de 1000:1 e nunca tive problemas em ver o conteúdo no ecrã, as cores são boas e este tem uma boa luminosidade. Nada de negativo a apontar.


Software


O Zuk Z2 vem com o sistema ZUI 1.9 baseado no Android 6.0.1. À semelhança de algumas marcas (Xiaomi > Miui ou Meizu > FlymeOS) esta tem também o seu próprio sistema operativo, e em relação a isso posso dizer que este ainda está um pouco verde.


Alguns dos menus não estão traduzidos na totalidade embora não sejam os principais. Gostei do aspeto visual e da organização da ROM. Notei algumas semelhanças com a MIUI, mas esta ZUI peca por ter alguns BUGS. As atualizações de software não funcionam, bem como uma ou outra aplicação.
Não traz muitas aplicações "lixo", encontrei apenas uma com uns caracteres em Chinês. Acredito que com o tempo este sistema operativo da ZUK vá melhorando. Pois merece melhor.

Em termos de potência este smartphone não tem nada que se lhe aponte pena negativa, inerente, vídeos, jogos, multitasking.. tudo sem problemas. Os 4GB de memória RAM e o Snapdragon 820 acompanhado pela GPU Adreno 530 fazem jus à sua reputação e não nos deixam ficar mal.

Aqui ficam os resultados de alguns testes efetuados

Antutu

Benchmark

Câmara


Tem uma aplicação bastante simples de utilizar com um botão onde podemos trocar o tipo de foto que queremos tirar. Está muito bem localizado o que facilita esta mudança. Tem opções de auto focagem, HDR, câmara lenta (120fps, 240fps e 960fps), time-lapse, fotos panorâmicas, para além das habituais opções de flash. Gostei da aplicação da câmara.


As cores das fotografias são ligeiras, reais, não muito saturadas e com resultados interessantes. Quando comparadas com as fotos tiradas pelo Xiaomi Mi5, os resultados são muito semelhantes, sendo a grande diferença entre ambas na luminosidade e saturação. As do Mi5 são mais saturadas e as do ZUK Z2 são mais claras. 

Deixo aqui exemplos para que possam tiras as vossas conclusões (ver aqui as fotos originais):

Lado esquerdo: MI5      Lado Direito: ZUK Z2




Vídeos

Este smartphone em algumas opções interessantes para vídeo como gravação 4K, ou gravação em câmara lenta. Contudo foi na gravação 4K e FHD que não fiquei muito satisfeito com os resultados. Não é que sejam maus mas esperava melhor. O foco parece ser um pouco lento e a qualidade diminui um pouco quando há pouca luz ou quando há movimentos com o smartphone.


Pontos positivos e negativo


O que mais gostei
  • Qualidade de construção
  • Design
  • Botão home
  • Bateria

O que menos gostei
  • Sistema Operativo


Conclusão

Este smartphone tem de facto uma qualidade de construção boa, sendo resistente o suficiente para quedas de pelo menos 1 metro e pouco de altura. Falo de experiência própria. A frame em metal dá-lhe sem dúvida uma característica premium e resistente.
O botão home é o outro ponto positivo a destacar. Para quê mais botões quando se pode fazer tudo num só? Este botão tem diversas funcionalidades que fazem com que sejam desnecessários os botões auxiliares habituais nos smartphones android. É personalizável e é eficaz. Gostei bastante deste botão Home.


O sistema operativo é o grande calcanhar de Aquiles deste smartphone. Não é mau, apenas tem um bug ou outro, mas o facto de ter esses bugs e de não estar completamente traduzido para PT-PT faz com que não se desfrute da totalidade do hardware desta máquina. Acredito no entanto que com outra ROM isso já seja possível.
Não me interpretem mal agora: o smartphone em preto é simplesmente lindo, mas tem uma grande desvantagem: as dedadas! Principalmente na parte traseira. É inevitável que isto aconteça na maioria dos smartphones, mas pelo facto deste ser preto e ter esta parte brilhante faz com que se note bastante as impressões digitais e esconda um pouco da sua beleza.

Em suma, compensa comprar este smartphone? Sim, mas é melhor colocar uma ROM que aproveite melhor as potencialidades do hardware. Se não compensa mais o Xiaomi Mi5. Isto na minha opinião.
(este smartphone vai estar com uma super promoção na Gearbest daqu ia uns dias, aproveitem!)

Onde comprar:

Vídeo



8 comentários

Dizem bem da ROM Indiana. Sugiro que passe aqui para ver: http://zukfans.eu

caramba, muito direto e bem explicado, ta de parabéns!

Otima apresentaçao ... Conheces alguem que saiba mudar a rom em lisboa ??

Abr

Bruno

Obrigado Pires. Em Lisboa não.. mas em breve será disponibilizado aqui um manual para ajudar o pessoal a fazer isso.


Emoticon Emoticon