Cubot Max 2 - Um gigante único no mundo, por uma particularidade!

A Cubot é uma empresa que está no mercado de smartphones há vários anos e é conhecida por produzir equipamentos económicos com especificações interessantes. O Cubot Max 2 é um dos mais recentes smartphones da marca asiática e vem competir na categoria dos phablets.




Estamos a falar de um equipamento com 4GB de memória RAM, 64GB de armazenamento interno, ecrã de 6.8” e com uma bateria de 5000mAh por um preço abaixo dos 140€. Este smartphone destaca-se ainda por uma características não muito vulgar, mas já lá vamos.

Unboxing

O smartphone vem dentro de uma caixa preta com as letras em dourado. Na parte frontal da podemos ver o nome do modelo e na parte traseira algumas das características do equipamento.


Dentro da caixa vamos encontrar o smartphone que vem já com uma capa de silicone e com a normal película no ecrã. O carregador de 5V-2A, cabo USB Tipo-C, clip para abrir a bandeja dos cartões sim e o guia rápido com algumas instruções.

Design e aparência

Uma das primeiras coisas que salta à vista quando pegamos neste equipamento, para além do seu tamanho, é a cor. Este acompanha a tendência do mercado, com o lançamento de smartphones com um tom Twilight com base no azul e alguns reflexos de violeta, púrpura ou mesmo roxo. É impossível ficar indiferente à traseira deste produto, mas que começa a ser vulgar.


O Max 2 tem ainda outra particularidade. A câmara frontal está localizada na parte superior direita e este facto poderia até ser normal, não fosse o tamanho que esta roubou ao ecrã. Característica nunca vista num smartphone, pelo menos por aqui. Não foi de facto uma grande ideia a solução encontrada pela Cubot para encaixar a câmara no seu equipamento. Tem umas bordas muito grandes, é uma realidade.


Na parte inferior está localizada a entrada USB Tipo-C, a coluna de som e o microfone. Na lateral direita estão os botões do power e volume, em cima a entrada jack áudio de 3.5mm e no lado esquerdo a gaveta para os cartões nano SIM. Pode levar dois cartões, sendo um deles colocado na gaveta híbrida.


Um aspecto positivo e que se realça no smartphone é a frame metálica em redor de todo o equipamento. Por outro lado, para além de grande é um equipamento pesado: 214g.

Ecrã

Estamos perante um equipamento que não é para todas as mãos. Este ecrã de 6.8” é um IPS com uma proporção de 19:9, resolução 640 x 1352 px e com 220ppp. Sim, é pouco. Estamos perante um produto bem grande, com mais de 17cm. São 81.6mm x 173.1mm x 9mm de espessura. Com o ecrã ligado conseguimos ver facilmente que na parte inferior este possui uma grande borda o que faz com que este seja mais um aspecto a destacar pela negativa.



Software

No que diz respeito ao software, e ao contrário de outras marcas chinesas, o Cubot Max 2 vem com Android puro, na versão 9.0. Nada de negativo a realçar aqui, pelo contrário.



Desempenho

Em termos de CPU este equipamento vem equipado com um octa core da Mediatek, o Helio P22 com 2GHz de frequência de relógio. É acompanhado com 4GB de memória RAM e 64GB de armazenamento interno, estando disponíveis para o utilizador cerca de 55GB, uma vez que os restantes são ocupados pelo sistema operativo.


Nos testes realizados este atingiu quase 80 mil pontos no Antutu, 830 pontos no desempenho em single-core e 3424 pontos em despenho multi-core, isto no Geekbench 4.



Na prática estes números encaixam perfeitamente na categoria em que este produto se insere. Estamos a falar de um smartphone low cost, gama de entrada e que serve perfeitamente para uma utilização básica ou regular para o dia a dia. Não vai ser possível jogar aqui os jogos mais potentes da playstore, mas aguenta a maioria dos jogos mais comuns.
No desempenho em multitarefa nunca bloqueou mas para quem está habituado a equipamentos da gama acima nota-se a diferença.


O leitor de impressões digitais (localizado na parte traseira) e o desbloqueio facial funcionam bem e nunca foi preciso mais do que uma ou duas tentativas para desbloquear o equipamento. É certo que não é dos mais rápidos, mas também não é dos que demora mais tempo.
Em termos de bateria este consegue aguentar 2 dias com uma única carga, sem termos uma utilização intensiva. Demora cerca de 2,5 horas a carregar, apesar de ter uma entrada USB Tipo-C mas com uma alimentação de 5V-2A.

Câmara fotográfica

Em relação às câmaras, a principal utiliza um sensor Sony Exmor RS de 12MP com uma abertura f/1.8. A câmara frontal é de apenas 2MP.
Durante o dia é possível tirar boas fotos, com boas cores embora sem grandes detalhes e às vezes algo saturadas. Não é fácil tirar uma fotografia em movimento e o mesmo se pode dizer em ambientes escuros ou com fraca luz. Nada de especial aqui e mais uma vez está perfeitamente encaixado na categoria low end.







Conclusão

Estamos perante um equipamento pertencente à categoria de gama de entrada, com um tamanho grande e que se destina a um nicho de mercado. Não é equipamento para toda a gente.
Neste destaca-se visualmente a sua parte traseira a fazer lembrar outros equipamentos, sendo este um aspecto positivo. É de facto bonito mas o mesmo não se pode dizer da parte frontal. Para além da bateria não sou capaz de sublinhar mais nenhuma característica deste smartphone que mereça a sua compra.
Na minha opinião, por cerca de 140€, 130€ ou até menos, consegue-se encontrar no mercado equipamentos melhores, em quase todos os aspetos.

Onde comprar e preço


Dá uma vista de olhos nas promoções atuais:

Acompanha todas as novidades nos grupos de discussão:


Emoticon Emoticon